Maquiando em Pouso Alegre

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Quebrando regras chatas #1: Lápis colorido

 Hoje vou postar um exemplo de como eu uso lápis colorido:





Uso aquela combinação de sombra marrom e nude que vai bem com qualquer cor e delineio em duas camadas: uma mais grossa, com o lápis colorido (usei o verde da Archy) e uma mais fina, com delineador em gel.

perdoai as fotos toscas, tirei com pressa

Acho legal porque você fica com uma sombra que mal aparece, ótima pra encarar qualquer lugar chato que não aceite coisas muito extravagantes, mas adiciona um toque de cor...



Uma vez, quando eu estava no curso de maquiagem usando uma versão mais desbotada deste look, ouvi que lápis colorido é só para adolescentes, e que eu só precisaria ter na maleta lápis preto e marrom.


Minha reação:




Claro. Por que a Urban Decay, que produz  lápis caros, focados no público adulto, produziria lápis de todas as cores?! Porque pouquíssimas adolescentes tem poder de aquisição para possuir uma belezinha daquelas. E o negócio vende feito água no deserto...

Não tem lógica. Nem se você for escrava de tendências.

 Quer dizer então que sua cartela de possibilidades vai diminuindo de maneira inversamente proporcional à sua idade. Então, quando eu chegar nos 40 terei de me resignar ao marrom e preto eternos porque a autoexpressão, as cores, a ousadia e a irreverência são privilégios das meninas de pele lisinha. Imagino que espécie de maquiadora eu seria se anulasse a liberdade da cliente e minha própria criatividade em nome da ditadura fashion...

 Ditadura caduca, porque nunca se lembra do que ditou na estação anterior e nem tem vergonha de se contradizer. Um dia era a sombra iluminadora que não podia mais usar no osso da sobrancelha; noutro, era a base que teve seu fim decretado. E agora o lápis e rímel colorido estão vetados.

Pffft. Eu rio pra não chorar. Como vocês sabem, eu me permito o que eu desejar e permito também o que a cliente desejar à medida do possível, ainda que precise fazer pequenos ajustes para harmonizar o resultado final. Mas o resultado mais harmonioso sempre vai ser quando eu e a cliente nos olharmos no espelho e encontrarmos a nós mesmas como nos enxergamos, como nós queremos ser.

E você, acha que vale restringir um pouco as cores e brilhos em nome da adequação? Como lida com isso? Deixe sua opinião! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Visite meu Portfólio!

Clique aqui