Maquiando em Pouso Alegre

quinta-feira, 1 de março de 2012

Beauty Blender genérica: A Belliz mostra serviço!


(Quem não quiser ler um desabafo sobre marcas nacionais pule até a foto da Beauty Blender).

É um alívio perceber que as marcas brasileiras estão finalmente prestando atenção no que as consumidoras estão a desejar por aí. Odeio quando somos tratadas feito bicho, e as marcas prepotentemente julgam que ainda não precisamos ou não queremos isto ou aquilo. O que tenho a dizer quanto a isto é: santa internet e santa blogagem. Podem dizer o que quiserem da blogosfera de beleza no Brasil, mas eu serei eternamente grata a ela pelo acesso que me deu a novos produtos, técnicas, acessórios, enfim, se hoje me encontro mais crítica e exigente em relação ao que consumo eu devo muito aos trabalhos que li por aí. Embora, naturalmente, o jabá atrapalhe no começo, uma hora você pega o jeito de perceber quando estão de muamba e quando estão dando uma avaliação sincera, e aí é só encontrar blogueiras com as quais você se identifique e seguir sem desativar a crítica.

Hoje temos no mercado nacional produtos (ainda que genéricos) com conceitos inovadores aos quais nunca teríamos acesso sem a divulgação e popularização dos mesmos pela blogosfera afora. As consumidoras estão se tornando mais exigentes: os produtos, sua apresentação e até as vendedoras que os comercializam precisam estar prontos para atender a esta nova demanda. E isto, na minha opinião, é uma melhora e tanto. Aconteceu com cores de esmalte (quem ainda se lembra de quando só havia esmalte bege, branco e vermelho? Quando esmalte azul, verde, amarelo era só importado?), de batons, pincéis; mais recentemente, está acontecendo com primers, produtos de cuidados com a pele e outros produtos acessórios para a maquiagem. Não é maravilhoso que as marcas finalmente estejam sendo obrigadas a prestar atenção no que andamos lendo, pelo que nós temos demonstrado vontade de comprar? Porque batom cobre e esmalte Rebu não vão mais garantir estes fabricantes. Eles vão ter que se esforçar um pouco mais a partir de agora. Eu me sinto muito melhor ao ver que algumas coisas estão mudando nas relações de consumo...

 Bom, mas vamos ao que interessa: a Beauty Blender genérica que a Belliz nos trouxe, acredito, através de uma observação atenta ao mundo da maquiagem e pesquisando os anseios da consumidora. Isso aê, uma empresa relativamente nova está prestando atenção nas lacunas a se completar no mercado nacional. Quem é que não gostaria de ter uma ferramenta que dá o acabamento perfeito na aplicação de produtos líquidos e cremosos, retirando precisamente apenas o excesso? Isso é muito difícil de se fazer com queijinhos e outras esponjas de látex comuns: elas geralmente absorvem quase todo o produto que foi aplicado, obrigando você a retocar se não tiver uma avaliação boa de onde deve aplicar as esponjinhas. Se molhar, mela tudo e, dependendo da base, o resultado é tão fraco que vira uma sujeirinha no rosto. Isso não acontece com a Beauty Blender, ou pelo menos é o que dizem por aí. Li em diversos blogs que ela aplica tudo direitinho seja seca ou úmida, sem deixar marcas, sem retirar produto demais (será que toca musiquinha quando aperta também?).


A esponja de 20 dólares.


 Quando eu ouvi falar em Beauty Blender pela primeira vez logo pensei: "WTF, 20 doletas numa esponjinha? HÁ." O sangue Patinhas corre em minhas veias, minhas caras, o que me fez olhar para meus queijinhos de látex e me sentir razoavelmente satisfeita. Nem mesmo as declarações apaixonadas de blogueiras famosas me comoveram. Sim, eu pensei que deve ser uma ferramente ótima para aplicação de bases. Sim, eu pensei que o acabamento de Airbrush deve ser uma coisa linda de se ver. Mas não, não achei que tudo isso só seria alcançável com a BB, e que por isso eu deveria dar sem remorso quase 40 reais do meu rico dinheirinho.

 O tempo passou, li mais e mais reviews, a vontade de ter a bendita cresceu e diminuiu, eu me virava bem polindo a base com meu pincel de stippling da Coastal Scents e meus queijinhos, até que hoje eu vi a Make Up 360º na perfumaria São Paulo, e trouxe a gordinha pra casa pela bagatela de  R$13,50.

Já dei uma destruída nela, como podem ver nas fotos eu sou esperta pra dedéu e não fotografei o produto embalado.



 Eu uso BB Cream diariamente, então não tenho contato constante com pinceis de base, mas quando preciso meu Stippling Brush da Coastal Scents dá conta do recado sossegado.  Antes, eu espalhava o BB Cream caprichosamente com os dedos e usava queijinhos pra retirar o excesso. Mas nunca gostei de sujar os dedos na correria de sair de casa, então uma esponja para aplicação e finalização veio bem a calhar. 

 Testei a aplicação de base com a esponja seca e úmida, e ela funcionou bem das duas formas. Seca o acabamento é mais opaco, do jeito que eu gosto, sem frescurinha de "dewy-sou-uma-bonequinha-tenho-tempo-de-retocar-o-pó-quando-quiser", pois maquiagem na minha pele oleosa e na minha rotina apertada é feita pra durar o dia inteiro: eu não tenho tempo e nem vontade de ficar tomando conta da make. Um ponto negativo da aplicação a seco é que vai vários pumps de base pra dentro da esponja, gastando mais produto. Com BB Cream o "efeito gastão" diminui, já que é um produto mais espesso (falando nisso eu tenho que lavar quase todo dia a esponja, senão ela "entope"). 
 Usando ela úmida o acabamento é mais fino, translúcido e a esponja suga bem menos base, evitando desperdícios. Aplicação excelente para quem gosta do efeito acetinado. Fica bem natural e bonito. O ponto negativo é que, pelo menos na minha pele, o brilho do óleozão (nada dewy, nada chic) apareceu rapidinho.


A Make Up 360º supriu bem minha necessidade de uma ferramenta de aplicação e finalização rápida e prática. Não posso comparar com a Beauty Blender pois, como mencionado acima, não tenho a segunda, mas posso dizer que estou feliz e satisfeita com os resultados que obtive.

 Uma observação: Lavo a esponja com muita frequência, às vezes até com  bactericidas, o que provavelmente irá diminuir seu tempo de vida útil. Mas até agora ela pareceu resistente, mesmo depois de ter sido usada por quase 2 meses a fio.

 E vocês, meninas, quais ferramentas usam pra dar acabamento  à make?

2 comentários:

  1. Eu quero uma dessas, vou comprar em breve a gnérica também, porque não nenho coragem degastar com Beauty Blender também...hahaha

    ResponderExcluir
  2. Eu acho um abuso. Avaliando os materiais que compões as esponjas, 20 dólares é overpricing.

    ResponderExcluir

 

Visite meu Portfólio!

Clique aqui